Sábado, 16 de Janeiro de 2010

Amanhã ?

 

 

hoje o sol não entra pelas janelas, a chuva teima em cair, pesada e suavemente pelas ruas, e no meu coração. eu sei que te quero esquecer, que nem te quero sequer ver, mas tu teimas em aparecer ao fundo de um corredor, pelo bar. e eu, mesmo estando na biblioteca ouço a tua voz. e sabes o que me apetece fazer? descer as escadas a correr, ter outra vez 5 anos e ver que o mundo é meu e que pode ser da cor que eu o quiser pintar e não daquele cinzento que ultimamente tem aparecido em todos os cantos. Apetece-me correr, chegar ao pé de ti e dar-te um beijinho, dizer-te que te amo e que sinto saudades tuas, e na minha cabeça tu irias dizer que tudo não tinha passado de uma brincadeira e que estavas como sempre, com saudades minhas e a sentir a minha falta. Mas isso, só na minha cabeça. Porque cá no fundo eu sei que isto não é nenhuma brincadeira, é a dura realidade. sem querer continuo a passar nos locais que tu frequentas, na esperança de te encontrar, mas assim que pressinto a tua presença, levanto a cabeça, viro-a, rio-me, sorrio e continuo a falar, não cruzo os meus olhos com os teus, mas no canto do olho vejo os teus cabelos; e continuo a falar na esperança que me ouças e que nunca te esqueças da minha voz. a voz que te alimentou, que te pronunciou o que ia no meu coração, a voz que ainda não consegue dizer o teu nome em voz alta. é difícil saber que quando sair com os meus amigos, tu podes estar ali, principalmente porque muitos deles até são os mesmos; rezo para que eles compreendam a minha situação, e que não pronunciem o teu nome. e eles devem compreender, porque quando me vêm dão-me um sorriso quente, um abraço, umas palavras. e é com isso que eu me vou enchendo, que me vou aquecendo. agora não procuro os pequenos pormenores em ti, mas sim neles. só eles me alimentam. Mas continuo a achar, e a ter a certeza que há demasiadas peças partidas e perdidas. O tempo pode curar tudo, mas eu acho que não gosto de tempo quando ele demora a passar, não gosto. faz-me sentir cansada. e depois ter de fingir para o mundo lá fora que está tudo bem, que continuo a ser a rapariga do sorriso e dos olhos brilhantes, mas eu sei que já não sou essa rapariga. gostava de voltar a ser, mas sei que daqui a pouco serei outra. serei diferente, renovada, preenchida, e sem peças perdidas. agora, até me voltar a encontrar posso ser todos os dias algo diferente, transformar-me no que quiser. E enquanto me distraio a interpretar novas personagens, sem no entanto, deixar de ser a mesma, talvez o tempo passe mais depressa e eu nem dê conta, e num dia que seja rosa, e não cinzento, e que a chuva não caia sem cessar, talvez eu veja um príncipe a entrar pela porta adentro, e talvez aí ele me arrebata com o seu sorriso, o seu cabelo, e os seus braços, e então eu saberei que chegou a altura de amar o mundo inteiro de novo, e saberei que já não terei peças perdidas nem partidas e serei de novo a anna com dois ênes, de sorriso e olhos brilhantes, e possa de novo pintar o mundo das cores que eu quiser; e aí quando a chuva cair eu não irei sentir mais saudades tuas, mas sim, desse meu novo príncipe, que andará agora por aí, à procura da sua princesa.

 

publicado por anna. às 11:37
link do post | comentar | favorito
30 comentários:
De mariana a 16 de Janeiro de 2010 às 12:51
eu penso que desistir nunca é uma opção. muitas vezes seria esse o caminho mais fácil, mas não é o mais certo. se o amas mesmo, não desistas dele. e ele, mesmo que agora não esteja contigo, se diz que te amou não te pode ter esquecido de um dia para o outro, e talvez se aperceba que és tu que o amas de verdade e volte a dizer-te o mesmo. e eu sei que tu vais recebê-lo de braços abertos, e vais esquecer os maus tempos que passaram, porque no amor é assim :)
o amor verdadeiro nunca o é para uma só parte, querida. talvez ele não queira mostrar isso. (os rapazes são complicados, nós também)

* quanto ao meu rapaz, é mesmo perfeito, o amor da minha vida :)
nunca desisti dele e acredita que nem sempre tem sido fácil. mas não me arependo de nada, só ele me faz feliz, e só com ele é que me sinto bem. faria tudo outra vez e faço tudo o que for preciso para passar a minha vida ao seu lado :$
um beijinho muito grande, e sê feliz!
De maria joão a 16 de Janeiro de 2010 às 13:02
aii vai para os favoritos, anna $:
está mesmo fofinho :)
beijinhos «3
De alison; a 16 de Janeiro de 2010 às 13:05
eu quero TANTO ver esse filme *-*
eu amo a Zooey; já viste?

não sei que dizer sobre o texto. está muito bem escrito e eu sinto a falta que tens dele e o quanto o queres esquecer, mas não dá.
vou-te dizer o que me dizem sempre: o tempo cura todo. passa devagar, mas cura. aguenta firme.
De mariana a 16 de Janeiro de 2010 às 13:07
não tens nada que agradecer :) *
De maria joão a 16 de Janeiro de 2010 às 13:22
não tens de pedir desculpa :p
sim, gostei mesmo, ficou super fofinho :)
beijinhos *-*
De inês. a 16 de Janeiro de 2010 às 13:27
FAVORITOS.
De alison; a 16 de Janeiro de 2010 às 13:53
parece ser tão querido *-*
acho que ela não acredita no amor e ele fá-la ver que existe.
De Ana Isabel a 16 de Janeiro de 2010 às 14:04
Favoritos :3
De filipa a 16 de Janeiro de 2010 às 14:19
fantastico :)
De Mudei-me. Tchauzinho. a 16 de Janeiro de 2010 às 14:28
Olá.
LINDO, mesmo. Adorei. +.+
Beijos,
De libânia a 16 de Janeiro de 2010 às 19:26
yael naim é realmente uma boa rapariga, mesmo quando se poe a cantar britney :o (sim, podes ir ver ao youtube: toxic - yael naim) 

Comentar post