Quinta-feira, 3 de Setembro de 2009

As quintas são da Margarida ♥ (II)

 

Laranjas  no ar.

 

Pega no telefone e liga-lhe, não tens nada a perder. Diz-lhe que tens saudades dele, que ninguém te faz tão feliz, que os teus dias são secos, frios, áridos, como um deserto imenso, sem oásis nem miragens, sempre que não estão juntos. Pega no telefone e liga-lhe. Se ele não atender, deixa-lhe uma mensagem. Ou então escreve-lhe um sms a dizer que queres estar com ele. Não te alongues nem elabores, os homens nunca percebem o que queres deixar cair nas entrelinhas. Tens de ser clara, directa, incisiva. E não podes ter medo, porque o medo é o maior inimigo do amor. Cada vez que deixares o medo entrar-te nas tuas veias, ele vai gelar-te o sangue e paralisar-te os nervos, ficas transformada numa estátua de sal e morres por dentro.
Já fui como tu uma sobrevivente à procura de uma luz que me levasse por um caminho com menos pedras. Às vezes, ficava tão cansada de passar pela vida sozinha que desmaiava, de repente, assim do nada, só para descansar um bocadinho. Depois tudo mudou. Mas demorou muito tempo, foi gradual. Não foi um amor à primeira vista, foi um amor plantado e criado como uma árvore. Ele era o meu melhor amigo e estava sempre lá. Almoçávamos todos os meses, depois, todas as semanas, depois, quase todos os dias. A pouco e pouco, sempre com muito cuidado, ele foi entrando na minha vida. Aprendeu a ouvir-me e a aceitar-me sem máscaras, aprendeu a morada da escola dos meus filhos, aprendeu a ser um homem de família ao meu lado. E eu aprendi a ser feliz.
A vida é uma incógnita, hoje estás aqui, amanhã podes ficar doente, ou cair-te um piano em cima quando fores a andar na rua. Ainda há pessoas que atiram pianos pela janela, sabias? Nunca se sabe como será o dia de amanhã, por isso não percas tempo, pega no telefone e liga-lhe. Tenho a certeza que ele te vai ouvir, tenho a certeza que ele te vai ajudar, tenho a certeza que ele, à sua maneira - e é tão estranha a forma como os homens gostam de nós – ainda gosta de ti. Mesmo que já não te ame, ainda gosta de ti, como tu vais aprender a gostar dele, quando a vida te obrigar a desistir deste amor.
Ele está longe, mas olha para ti por entre memórias, presentes e flores. À noite entre sonhos alterados pelo álcool e as drogas leves, tu apareces-lhe na cama e ele volta a sentir o cheiro da tua pele e volta a amar-te com todas as suas forças. Ainda que não acredites, tu viverás para sempre nele, tal como ele vive em ti, na memória das tuas células, num passado que pode ser o teu escudo, mesmo que não seja o teu futuro.
Pega no telefone e liga-lhe. Fala com ele de coração aberto, diz-lhe que o queres ver, chora se for preciso, pede-lhe que te diga se sim ou não. Se for preciso, por mais que te custe, pede-lhe para escrever a palavra NÃO. Pede-lhe uma resposta para o teu coração. Mais vale saberes que acabou tudo o que viveres com as laranjas todas no ar, qual malabarista exausto, sem saberes nem como nem quando elas vão cair. Mais vale chorar a tristeza de um amor perdido do que sonhar com um oásis que se transformou numa miragem.
Pega no telefone e liga-lhe. Liga as vezes que forem precisas até conseguires uma resposta, a paz de uma certeza, mesmo que essa certeza não seja a que desejavas ouvir. Mas não fiques quieta, à espera que a vida te traga respostas. A vida é tua, tens de ser tu a vivê-la, não podes deixar que ela passe por ti, tu é que passas por ela. E quando todas as laranjas caírem, apanha-as com cuidado, guarda-as num cesto e muda de profissão. O circo é para quem não tem casa nem país, não é vida para ninguém. Guarda as laranjas num cesto, leva-as para casa e faz um bolo de saudades para esquecer a mágoa. E nunca deixes de sonhar que, um dia, tal como eu, vais encontrar alguém mais próximo e mais generoso, que te ensine a ser feliz, mesmo com todas as pedras que encontrarem no caminho. Larga as laranjas e muda de vida. A vida vai mudar contigo.
Margarida Rebelo Pinto.
publicado por anna. às 14:55
link do post | comentar | favorito
74 comentários:
De inês. a 3 de Setembro de 2009 às 15:02
Obrigada pelo que disseste naquele comentário (:
Eu hei-de conseguir ser feliz, a cem por cento. E, meu Deus, Ana! Este texto *.*
Em certos aspectos, identifica-se perfeitamente com a minha situação.
Tu sabes do que falo.
Sabes uma coisa? Hoje falei com ele. Já deu pra matar algumas saudades $:

 
De inês. a 3 de Setembro de 2009 às 15:14
Ya, podes crer. O texto está simplesmente lindo *.* Vai para os favoritos (:
Oh, foi uma conversa de msn, normal.
Ele começou a falar comigo, e mostrou-me um vídeo, como fazia antes. Tinha tantas saudades disso $: Não lhe disse nada do facto de ainda gostar dele. Eu sei, fui uma estúpida. Eu sei que devia ter falado nisso; mas não tive coragem $:
De inês. a 3 de Setembro de 2009 às 15:21
É bom saber que há quem me compreenda $:
Sim, jáá.
De inês. a 3 de Setembro de 2009 às 15:29
Não, ainda não. Continua desligado; mas também, já não me importa.
Hoje já falei com ele, nem imaginas como tou contente (:
De inês. a 3 de Setembro de 2009 às 15:32
You were my dream, my world *.*
De inês. a 3 de Setembro de 2009 às 15:35
a música é gira, mulher :D
costumas ouvir músicas do género daquela? :b
De inês. a 3 de Setembro de 2009 às 15:43
Vou ouvir (:
De inês. a 3 de Setembro de 2009 às 15:48
'Sou o eterno em cada linha
Que adivinha o incerto,
Quando escrevo eu vejo o mundo
Que programo e desperto.
Mil versos como que uma vida
Que este povo se queixa,
Eu tento não ver isto
Mas esta caneta não deixa.
Faço desenhos de esperança
Como uma criança que voa,
Enquanto o mundo é inocente
Não mente nem magoa.'

É mesmo bonita. Quer dizer, eu gosto :)
Oh minha querida, sabes bem que eu AMO LINKIN PARK *.*
De inês. a 3 de Setembro de 2009 às 16:03
Ana, OMG *.* esta música, a última que mandaste, é linda poças *.*
De inês. a 3 de Setembro de 2009 às 16:05
'Eu sei, sempre soube, sempre escondi, o lugar onde mais sorri, foi sempre estando ao pé de ti.'
olha-me esta maravilha de frase *.*

Comentar post