Segunda-feira, 25 de Janeiro de 2010

Diz-me.

Diz-me! Diz-me já tudo, como se estivesses com pressa e a tua mãe estivesse ao fundo da rua. Diz-me tudo sem rodeios, e deixa os medos para lá. Depois parte e não dês um beijo, nem abraço de despedida; será melhor assim porque contigo já não quero mais coisas aos bocadinhos, apenas quero que despaches tudo já e depois partas para sempre. Que peças à tua mãe para te levar para bem longe de mim. Até porque eu sinto cada vez mais que já nada em mim és. Sinto que já nada meu te pertence, e nada teu é meu. Sinto também, que as pequenas partes que te dei estão de novo a regressar.
E sabes? Sinto-me bem.

 

tags:
publicado por anna. às 16:59
link do post | comentar | favorito
|
10 comentários:
De Pedro a 25 de Janeiro de 2010 às 19:56
Muito bem meu anjo (: 


Muito bem .
De Marie C. a 25 de Janeiro de 2010 às 20:05

ANNA! ;D este texto deixou-me um sentimento de revolta qe nem imaginas :b é isso mesmo. ;DDD
De V. a 25 de Janeiro de 2010 às 20:07
Lindo texto! :)
De Rita a 25 de Janeiro de 2010 às 20:19
;o Não podias acertar mais no meu estado de espírito. 
De posh a 25 de Janeiro de 2010 às 20:20
é como uma vacina é sempre melhor quando é levada rápidamente, só queremos ir embora dali.
(adoro -sempre- os teus posts)
De Ana Isabel a 25 de Janeiro de 2010 às 20:32
Oh anna, fico tão feliz por ver que o estás a esquecer (:
De Segredos!!! a 25 de Janeiro de 2010 às 22:30
O tempo é um excelnte aliado...;)

Beijinhs****
De Annie ♥ a 26 de Janeiro de 2010 às 11:32
Q lindo, Anna.... tu mereces ser feliz :)

beijinhos
De Cláudia Oliveira a 27 de Janeiro de 2010 às 16:08
Tens imenso jeito, digo-te já. Raramento o digo a alguém, pq raramente encontro textos destes.
De ~ raffy a 4 de Fevereiro de 2010 às 21:03
gostei , está lindo *.*

Comentar post