Segunda-feira, 7 de Dezembro de 2009

You're irreplaceable.

 

Domingos  e segundas.
Pode ser que chegues noutro domingo, ou então que voltes a partir noutra segunda. Sinceramente já nem quero saber. Não quero saber se vens para ficar ou para partir no dia seguinte. Descobri que és confuso. Mais confuso do que tu, e eu pensámos. É tudo sempre demasiado confuso, difícil, complicado. É tudo sempre demais.
Já não vou acordar às seis da manhã de um domingo, entrar no banho, perfumar-me, e vestir as minhas mais belas roupas, para no fim me as arrancares sem pudor. Porque isso já há muito que não acontece. Há muito em que apenas as minhas melhores roupas se enchem das mais tristes lágrimas. Lágrimas de espera, espera, espera. Porque eu em todos estes domingos tenho esperado por ti, tenho acreditado que podes cumprir a promessa, acreditado que irás voltar, acreditado que ainda me amas.
Mas já não quero acreditar mais, nem esperar mais domingos. Cansei-me de sofrer, de chorar, de estragar as minhas mais belas roupas, de arrumar a casa de alto a baixo , de gastar o meu perfume.
Tocam à campainhia, hoje é domingo, será ele? Se for, paciência terá de se contentar com o meu pijama da hello kitty, e com a minha casa perfeitamente desarrumada. Não quero saber se estou bem ou mal, não quero saber do que ele vai pensar. Sim é ele. Já chamou o meu nome bem alto, com a sua voz doce e grave.
Acho que agora já nem tudo me passa ao lado. Mas com a incerteza dos domingos e a frieza das segundas só me arranjo quando avisares que vens. Enquanto isso, terás de te contentar com o meu corpo revestido de pijama, e talvez algum suor penetrado nele, devido ao pesadelo da noite passada, aquele em que tu me deixavas; terás de te contentar com o meu coração feito em farrapos, e com a minha casa cheia de pó. Enquanto eu não tiver a certeza que vens para ficar, enquanto eu não te vir adiar reuniões só para estares comigo, tudo continuará assim: desarrumado, sujo, confuso. O coração desarrumado, a casa suja, e toda a alma confusa, enquanto não lhes deres uso, tudo ficará igual.
publicado por anna. às 21:17
link do post | comentar | favorito
|
23 comentários:
De mary. a 7 de Dezembro de 2009 às 21:25
e para não variar, está completamente lindo *-*
De jujuu ♥ a 7 de Dezembro de 2009 às 21:28
ah ^^
então mas se eu ficar com uma bochecha a outra vai-se sentir só (a)
De mary. a 7 de Dezembro de 2009 às 21:31
ow , fui ? *.*
 está mesmo lindo , escreves 'pra caraças', acredita :D
De Madalena a 7 de Dezembro de 2009 às 21:34

Digo isto em todos os teus posts , mas é a única coisa que me ocorre sempre os leio: Que lindoo! *.*

Beijinho*
De Madalena a 7 de Dezembro de 2009 às 21:44
A serio. Gosto mesmo. Acho que tens muito jeito para escrever, mesmo (:

BEIJINHO*
De Annie ♥ a 7 de Dezembro de 2009 às 22:01
Oh, Anna o texto está tão lindo... e essa escrita é maravilhosa ;) Adoroo

beijinhos
De Madalena a 7 de Dezembro de 2009 às 22:05
Acho. De nada, querida! (:

*
De Annie ♥ a 7 de Dezembro de 2009 às 22:10
D nada, querida! :)
De jujuu ♥ a 7 de Dezembro de 2009 às 22:17
são as duas minhas, lálálá
De mary. a 7 de Dezembro de 2009 às 22:18
oh, ainda bem :DD

Comentar post