Quarta-feira, 14 de Outubro de 2009

4.♥

" (...) Aprendi que a inocência não é um olhar cândido ou angélico perante o que temos cá dentro. Muito menos um tropeção (simplório) na malícia. Ser inocente é ter um olhar longo e aberto, mas ser pequeno. É estar ombro a ombro com todo o Universo e ser grande, ter brilho na voz (e vida) só porque se é precioso para alguém. Ser inocente é deixar que a beleza nos atropele um ror de vezes a razão. E, sempre que isso se descobre, nunca prometer que se deixa de escutar, primeiro, o que se sente. Ser inocente, é estar aberto. mesmo que isso crie um burburinho e ponha tanto em dúvida tudo aquilo que supúhamos saber, que no entanto, nesse reboliço, o coração nos deixe descalços.

Talvez por tudo isso só os sábios sejam inocentes. E, por mais que nos comova a sensibilidade em tudo aquilo que sabem, é o encantamento com que deixam que a vida os corteje que nos toca. (...)

 - Eduardo Sá.

 

publicado por anna. às 11:33
link do post | comentar | favorito
|