Segunda-feira, 28 de Setembro de 2009

Sabe-me bem.

 

Sabe-me bem saber a ti, cheirar a ti; sabe-me bem ter-te por perto, e sentir o teu cabelo. E sobretudo sabe-me bem, mesmo muito bem amar-te.
Hoje quando tocaste à companhia, eu fui espreitar por aquele buraquinho sabes? Não fosse outra pessoa que eu nem quisesse ver. Espreitei e qual não foi o meu espanto quanto te vi, estavas tão diferente. Estás mais alto, quase da minha altura. Estou a ver que seguiste o meu conselho e foste comendo muitos danoninhos; fizeste bem. Mas estás mesmo diferente, o teu cabelo mudou, está lindo como sempre. Mas assim que te vi, que te abracei, que te beijei; soube logo que a minha memória me tinha enganado, e foi como se tivesse sido a primeira vez que te tocasse, que te beijasse, que te sentisse. A minha memória tinha-me mesmo enganado! E foi tão bom refrescá-la. Senti-me outra vez com cinco anos, senti outra vez que o mundo me pertencia, que o mundo nos pertencia. Senti outra vez vontade de cantar, de pular, de dançar, de fazer mil e uma coisas ao mesmo tempo. Senti outra vez que o mundo estava nas minhas mãos, que todo ele era repleto de coisas boas, que só nós vivíamos nele. E tudo me soube bem. Tudo o que fazias me dava vontade de te abraçar, de sorrir para ti, de te dizer que te amo, de te beijar, de aconchegar as tuas mãos nas minhas, de te dizer que tudo é belo quando estás por perto. Que tudo me sabe bem quando estás comigo. Que tudo é tão maravilhoso, quando os teus lábios se abrem para um enorme sorriso. Que tudo é mágico, tão mágico quando nos tocamos, quando nos olhamos.
E conforme te vi entrar pela porta de minha casa empurrei-te para dentro dela, sentaste-te no sofá e eu corri para cima de ti. Não dissemos uma única palavra, apenas nos abraçamos, um abraço daqueles que só nos damos e sabemos o seu segredo; daqueles que só nos sabemos a que cheiram e a que sabem.
Ficámos muito tempo assim, agarrados um outro. Eu sentia o teu coração a bater, tal como tu devias, com certeza sentir o meu. Deu-me a impressão que ambos batiam ao mesmo tempo. Já há muito tempo que tenho essa impressão. E acho que não é só impressão, acho que é mesmo verdade, acho que ambos aprendemos a sintonizar os nossos corações, de modo a que batam ao mesmo tempo quando estamos juntos, ou distantes. Para em cada batida dele sabermos que onde quer que um de nós esteja o seu coração irá dar a mesma batida, ao mesmo tempo.
Depois seguimos para o meu quarto, e à voz da margarida rebelo pinto a ler “O diário da tua ausência” partimos e envolvemo-nos num mar de beijos. Todos eles únicos e diferentes. Todos eles com sabor a mar, a praia, a sol, a luar; e a tantas outras coisas que nos fazem sonhar. Sussurrámos os mais verdadeiros “amo-te”, como tantas vezes sussurramos e sentimo-nos bem, muito bem. Sentimo-nos as melhores pessoas do mundo, porque é isso que somos quando estamos juntos. E só existimos nós. Quando estamos juntos conseguimos eliminar cada pessoa à face do planeta, e sonhar, sonhar, sonhar. Sonhar sonhos que um dia se tornarão verdade. Sonhos em que só entramos nós, os nossos futuros filhos – lindos como nós, e a nossa futura casa. Sonhos em que nós já teremos vencido tudo e todos; e que estaremos entregues a nós mesmos, sem ninguém para nos dizer o que é ou não correcto. Pois com o tempo iremos aprender que o amor é a coisa mais correcta que alguma vez existiu. Sonhos, esses, que um dia chegarão. Chegarão e se tornarão verdade. E aí saberemos com tantas certezas, quanto as que há no mundo, como é bom vivermos um ao lado do outro, para sempre. Já sem medos, nem receios, e muito menos rodeios. Sonhamos ambos com um futuro belo, onde teremos tudo aquilo que merecemos – mas desde que nos tenhamos um ao outro, nada mais interessa, nada mais importa. Tal como nunca importou.
Os nossos corpos estavam unidos como se fossem um só. Os nossos corações batiam ao mesmo tempo. As nossas almas sorriam de contentamento.
E agora se passar a minha mão pela minha boca posso ainda sentir o teu cheiro, sentir a nossa felicidade, a nossa alegria; aquela que conquistamos quando damos asas à nossa magia.
Posso ainda sentir o nosso momento, o calor dos nossos corpos, do nosso amor, o sabor dos nossos beijos, as batidas do nosso coração, a tua voz sussurrando ao meu ouvido palavras verdadeiras que me fazem sonhar. E ainda aquela alegria que me faz acreditar, que tudo é bom, que tudo é possível; e aquela sensação mágica que voltei a ser criança e que o mundo é outra vez cor-de-rosa, um lugar melhor; posso sentir ainda a minha alma pular dentro de mim. E sorrir todos os dias, e isso tudo graças a ti, graças ao nosso amor.
 
2. Setembro. 2009
publicado por anna. às 14:20
link do post | comentar | favorito
|
8 comentários:
De Ritaa a 28 de Setembro de 2009 às 14:33
Está tãão bonito, anna! *.*
Adoro mesmo ler este género de textos.
E, como já disse anteriormente, o sentimento predomina em cada parágrafo transcrito.
«Pois com o tempo iremos aprender que o amor é a coisa mais correcta que alguma vez existiu.» Frase tão verdadeira, minha querida. (:
Oh, e não posso deixar de agradecer, mais uma vez, os teus comentários. =$
Beijinhos *
De Inês a 28 de Setembro de 2009 às 17:27
oh fico mesmo contente por gostares.

fogo porquê que eu não escrevo estes mega textos como tu. vou precisar de fazer um para português. fogooo
De inês. a 28 de Setembro de 2009 às 19:56
AMEI *-*
E anna maria, tens que me contar meq foi esta segunda-feira *-* meq correu? qual foi o presente? ele gostou do teu? olha, tou em pulgas, querida :3
dá noticias, rapidinho. $:
Beijinhoooooooooooooooooooos @
De débora f. a 28 de Setembro de 2009 às 21:59
LINDO"
De hngb a 29 de Setembro de 2009 às 19:07
O Amor sabe tão tão bem :)
Verídico?
De Bia :) a 29 de Setembro de 2009 às 20:50
O amor enlouquece-nos e faz-nos correr tão depressa. :)
Eu também gosto dos teus textos e tu sabes melhor do que eu, que ter essa enorme alegria é uma coisa que não se tem todos os dias, não é?

beijinhos :)
De maria joão a 16 de Outubro de 2009 às 21:49
oh meu deus, amei este texto *.*
amei amei amei! *.*
vou juntar já aos favoritos, parabéns. :)
De libânia a 27 de Dezembro de 2009 às 14:41
espero que te tenha agradado o meu cantinho, acho-lhe um mimo e com o sol de ontem, entretenho-me facilmente por ali :D

Comentar post